Publicado em

6º – Não produza desperdícios

A minhoca no ícone do sexto princípio de design em permacultura já diz muito: ela representa a compostagem.

Quando a gente começa a fazer permacultura, passamos a perceber que tudo pode ser encarado como recurso. Com esse novo olhar, começamos a buscar maneiras de usar e reusar tudo, às últimas consequências. Vou dar e exemplo clássico do limão:

Seu sumo vira suco, tempero para a salada. A casca, vai virar produto de limpeza, enzima cítrica. Três meses depois, já devidamente fermentada e pronta a enzima, o bagaço vai para a leira de compostagem. Mais três meses depois, o adubo vai para o solo para produzir mais alimentos. Fechamos um ciclo e geramos zero desperdício.

No caso da bananeira, o coração vai pra panela, as frutas a gente come, as cascas também viram bolo, o “tronco” vai virar cobertura de solo para a horta e as folhas serão usadas para envolver alimentos no forno. A planta todinha pode ser utilizada se a gente quiser. E digo mais:

Todos os nutrientes que o seu corpo não absorveu dessa bananada toda que você comeu e que mandou descarga abaixo também podem ser saneados ecologicamente usando um vermifiltro por exemplo e o adubo fruto desse processo pode ser encaminhado para um círculo de bananeiras, fechando outro ciclo!

Fazer reúso da água da máquina de lavar é fácil e te ajuda a economizar mais de 60 litros a cada lavagem. A água da pia pode ser recolhida na bacia ou então pode receber um sistema de tratamento de águas cinzas, podendo ser reutilizada na rega das suas hortaliças, para a lavagem de piso ou na descarga, se você quiser.

A bicicleta velha que está enferrujando pode receber uma linda atenção, uma lubrificação, troca de cabos e regulagem e pimba, voltar a rodar! O velho par de tênis está bonzinho por cima, mas com um buraco na sola? Sapateiro resolve, novo de novo.

#reusar #reciclar #compostar são palavras chave do sexto princípio do planejamento permacultural.