Compostagem

Você sabia que os resíduos orgânicos correspondem a mais da metade do resíduo que geramos diariamente dentro de nossas casas? Este material acaba sendo enviado para aterros sanitários e sua decomposição neste ambiente tem como produto um biogás altamente tóxico, inflamável e impactante no equilíbrio do Efeito Estufa. Além disso, a vida útil dos aterros sanitários acaba diminuindo muito, o que demanda mais e mais espaços para se construir novos aterros.

Imagina o potencial do resíduo orgânico que é gerado em nossas casas? As cascas, polpas, borras e filtros de café, quantos quilos de composto de ótima qualidade estamos mandando para os aterros sanitários todos os dias?

E se todo este composto fosse convertido em temperos, frutas, legumes e verduras?

Vamos deixar esta cidade mais verde!

Como proposta, este curso discute um pouco da gestão diária dos resíduos domiciliares, os recicláveis secos, rejeitos e recicláveis orgânicos, apresentando a vermicompostagem como solução para tratamento de parte da parcela orgânica e consequente diminuição substancial do volume enviado aos aterros.

 

 

Conteúdo do Curso

Parte 1 – Teórica

  • Contextualização;
  • Gerindo meu resíduo doméstico;
  • O que pode ser reciclado?
  • Para onde vai meu resíduo?
  • Classificação dos resíduos;
  • Vermicompostagem;

Parte 2 – Prática

  • Construção do minhocário doméstico;
  • Como utilizar meu minhocário?
  • Principais problemas, como resolvê-los;

 

Cauã Messinetti

Pai, graduando em Gestão Ambiental pela USP-Leste, Educador ambiental apaixonado por desenvolver atividades com crianças, permacultor especializado em Compostagem, trabalhou na Morada da Floresta como suporte das vermicomposteiras e coordenando o projeto Escolas Mais Orgânicas, também adora trabalhar com Abelhas sem Ferrão. Idealizador e colaborador do Coletivo Urbano e Rural de Reforma Alimentar, fez cursos de construção de cisternas, sobre a cultura do Bambu e Melipolicultura. Atualmente dedicado ao seu projeto Mato Alto desenvolvido junto com sua companheira.