Publicado em

8º – Integrar ao invés de segregar

O oitavo princípio do planejamento permacultural nos convida a refletirmos sobre o velho conceito de independência. Será que é isso que buscamos no design permacultural?

Mutirão em pracinha na Brasilândia durante o PDZ ZN do PermaSampa em parceria com o Kolombolo Dia Piratininga
Cursistas preparando os canteiros para plantio na pracinha.
Galera reunida levando as mudas para o plantio. Na hora do mutirão nem o pé quebrado tira a alegria dos participantes.
Além de linda, a praça também ficou super divertida!
Muros do Kilombolo pintados com tinta de terra
Anterior
Próximo

 

O ícone deste princípio faz alusão a pessoas em círculo, abraçadas, unidas. Quem já participou de um mutirão sabe do poder que sentimos quando vemos aquela tarefa penosa que levaríamos semanas para executá-la sendo realizada em um único dia, com leveza, entre risadas, cantoria e com direito a lanche coletivo sentado à sombra da maior árvore do lugar.

Eficiência, produtividade e prazer: esse é o poder da interdependência.

Além de fortes, juntos nós também somos mais felizes. E esse fenômeno não acontece só com os seres humanos e outros animais. Também vemos essa relação entre as plantas. Nas florestas, as árvores mais velhas, de raízes mais profundas, vão buscar água lá em baixo no lençol freático para as mais jovens. E ali entre as raízes rola uma rede de trocas tão complexa que mal podemos compreender. É por isso que uma agrofloresta produz até 5 vezes mais alimentos por hectare do que uma monocultura. Estamos falando de integração: plantas que crescem juntas e felizes.

Agrofloresta
Foto: agroflorestadofuturo.com.br

Integramos a composteira com a cozinha, a horta com a composteira e a cisterna com a horta. Tudo interconectado. Portanto o oitavo princípio do planejamento permacultural nos reforça a idéia de interdependência e nos orienta a conectarmos tudo: animais (incluindo você e eu), plantas, sistemas. Quanto mais integração, mais abudância.

Vamos juntos ao próximo princípio?

10º – Use e valorize a diversidade

Quem tem pressa, além de comer cru, dá um monte de mancada nos seus afazeres, não é mesmo? O nono princípio do planejamento permacultural reforça que os sistemas pequenos e lentos são mais fáceis de manter do que os grandes, fazendo melhor uso dos recursos locais e produzindo resultados mais sustentáveis.

9º – Use soluções pequenas e lentas

Quem tem pressa, além de comer cru, dá um monte de mancada nos seus afazeres, não é mesmo? O nono princípio do planejamento permacultural reforça que os sistemas pequenos e lentos são mais fáceis de manter do que os grandes, fazendo melhor uso dos recursos locais e produzindo resultados mais sustentáveis.

8º – Integrar ao invés de segregar

O oitavo princípio do planejamento permacultural nos convida a refletirmos sobre o velho conceito de independência. Será que é isso que buscamos no design permacultural?

7º – Projete dos padrões aos detalhes

Este princípio nos convida a observarmos o nosso espaço de fora para dentro. Primeiro vamos olhar para o macro, para o local onde estamos inseridos, o bioma, os ciclos, as características que pertencem à região como um todo para a partir de então, olharmos para as especificidades da terra para qual estamos planejando (projetando).

6º – Não produza desperdícios

Quando a gente começa a fazer permacultura, passamos a perceber que tudo pode ser encarado como recurso. Com esse novo olhar, começamos a buscar maneiras de usar e reusar tudo, às últimas consequências.

Assuntos relacionados:

Dia-a-dia: Compras lixo zero

As vezes, basta uma mudança sutil no nosso dia a dia para reduzirmos consideravelmente a geração de lixo no planeta. O que pode parecer trabalhoso, trata-se apenas de uma simples mudança de hábito.

Leia mais »

O que é agroecologia?

Verdade seja dita: é muito sedutora a ideia de deduzir o conceito de agroecologia apenas separando a palavra em “partes” e analisando-as com base no que geralmente somos ensinados sobre o que é “agro/agricultura” e sobre o que é “ecologia“.

Leia mais »