Publicado em

O que é permacultura?

As 3 éticas e os 12 princípios da permacultura. Fonte da imagem: http://permacultureprinciples.com/pt/

O termo Permacultura nasceu lá na Austrália, na década de 1970 por dois acadêmicos: Bill Molison e David Holmgren. Inconformados com a idéia de que era necessário se usar agrotóxicos e insumos industriais, poluir os rios, o solo e acabar com a biodiversidade para se produzir comida, resolveram inventar uma nova maneira de plantar, em harmonia com a natureza. Logo no começo da pesquisa os agrônomos entenderam que não precisavam inventar nada: a resposta para as suas buscas estava na reconecção com os saberes ancestrais e foi então se aproximando da cultura dos aborígenes da sua terra que nasceu a idéia da permacultura.

O termo era então uma abreviação de “Agricultura Permanente”. Mas esse conceito foi se transformando ao longo dos anos. A Permacultura passou a abrigar também outros conhecimentos, a fazer gestão dos recursos energéticos, a estudar os padrões naturais, a compreender que toda a matéria é fonte de recursos e integrar-se à ecologia. Se transformou numa ferramenta de planejamento de assentamentos humanos (a princípios propriedades rurais) e seu significado ganhou muito mais amplitude, transformando-se em “Cultura da Permanência”.

Hoje entendemos a permacultura como uma ciência holística de cunho socioambiental que conecta os saberes tradicionais com a sistematização acadêmica: o popular e o erudito, o sertanejo e o doutor sentados na mesma mesa tomando café com bolo assado no forno à lenha enquanto o drone faz o mapeamento da propriedade para o trabalho de planejamento. Sabedoria ancestral e tecnologia de vanguarda trabalhando juntas, regidas por princípios éticos, cuidando do futuro dos seres humanos e do restante da natureza da qual um dia nos esquecemos que fazemos parte.

Éticas da permacultura

  1. Cuidar da terra
  2. Cuidar das pessoas
  3. Cuidar do futuro*

*Pensadores da permacultura tem discutido o terceiro princípio então pode ser que você encontre Cuidar do futuro (Dixon, 2014; Harland, 2018; McKenzie e Lemos, 2008), Partilha justa (Holmgreen, 2002) ou Limites ao crescimento e ao consumo (Mollison, 1988)

Os 12 princípios para o planejamento (design) permacultural

1. Observe e interaja 
2. Capte e armazene energia 
3. Obtenha rendimento
 
4. Pratique a autorregulação e aceite conselhos (feedbacks) 
5. Use e valorize os serviços e recursos renováveis 
6. Não produza desperdícios
7. Design partindo de padrões para chegar aos detalhes 
8. Integrar ao invés de segregar
9. Use soluções pequenas e lentas 
10. Use e valorize a diversidade 
11. Use os limites e valorize o marginal 
12. Responda criativamente às mudanças 

Estamos produzindo um post para cada princípio incluindo exemplos práticos de cada um deles. Enquanto isso você pode se aprofundar no tema consultando o site de um dos pais da Permacultura, David HolmGreen. Acesse aqui Os Princípios da Permacultura.

Como a permacultura atua na prática?

A ferramenta mais importante que a permacultura nos oferece é a metodologia de design de propriedades, que chamamos hoje no Brasil de “planejamento permacultural”. O planejamento consiste em entender as necessidades de todos os seres habitantes da propriedade, o que oferecem energeticamente, quais os recursos presentes no lugar e pensar de que maneira podemos conectá-los afim de que o ciclo se feche e, com o mínimo de esforço todos tenham as suas necessidades supridas.

“Além de incidir sobre um design sustentável de ambientes, a permacultura propõe também mudanças no âmbito da organização social e política sob a qual vivemos.” escreveu Camila Alba no seu estudo Planejamento Permacultural Urbano escrito para a UFSC.