Instalação de cisternas

Minicisterna: solução para captação de água da chuva para a sua casa

O grupo Permacultores Urbanos realiza a instalação de cisternas para a captação da água das chuvas em casas e edifícios residências e comerciais da cidade de São Paulo. A água captada é boa para a rega de plantas, descarga, lavagem do quintal, da bicicleta, do carro e até lavar roupas (com tratamento simples com cloro).

FullSizeRender (2)Como captar a água da chuva na cidade: Minicisterna

A solução mais prática para captar a água das chuvas na cidade é a minicisterna. Desenvolvido pelo paulista Edison Urbano, o projeto da minicisterna segue as normas da ABNT (NBR 15.527/2007). Tem capacidade de armazenamento de até 240 litros, ocupa pouco espaço e é produzido utilizando bombonas plásticas reutilizadas e materiais básicos de hidráulica.

Utilizando o mesmo esquema da minicisterna, podemos instalar cisternas com capacidades maiores, como 1000, 2000 ou 5000 litros, utilizando caixas d’água ao invés de bombonas reutilizadas.

Para evitar a necessidade de uma visita técnica e baratear o custo da sua instalação, pedimos que nos enviem uma foto do local pretendido, outra do cano de saída da sua calha e a medida deste cano para: permaculturaurbanasp@gmail.com

IMPORTANTE: Antes de solicitar a sua minicisterna, confira as  Perguntas Frequentes (FAQ).

Mini-Cisterna

Projeto de mini-cisterna desenvolvido por Edison Urbano. Fonte: Sempresustentável.com.br

Permacultores responsáveis pelo serviço:

Vinicius Pereira é músico e permacultor. Um dos fundadores do coletivo Permacultores Urbanos, já realizou instalações em mais de 40 residências na cidade de São Paulo e facilitou diversos cursos em ONGs, escolas e igrejas pelo Brasil. É responsável pelos projeto Escola de Cisterna, Kombi Movida a Água e Fogão Pluvio Solar.

Valdir Motta é um permacultor multi disciplinar: vitrinista, paisagista, fotografo e cisterneiro, é o responsável pela manufatura dos kits de minicisterna e realizou instalações em residências, comércios, escolas e ONGs de São Paulo.

Comentários

comments